animais exóticos mais caros do mundo

Ayam Cemani: a galinha completamente preta

Além de ter as penas e o bico completamente negros, estes animais são pretos por dentro, incluindo seus ossos e seus órgãos. Nativos da Indonésia.

Os Ayam Cemani são vendidos em pares e custam cerca de U$5.000 dólares, preço que ressalta a raridade de um bicho de estimação destinado apenas a pessoas ricas.

Além da aparência exótica, estas galinhas são consideradas como portadoras de propriedades médicas pelos locais e, apesar de existirem apenas 3.500 exemplares na natureza, elas são frequentemente sacrificadas em prol de boa sorte para diversos fins, desde a execução de obras ao pleito eleitoral nativo.

Mas há vantagens em manter este animal de estimação: apesar de serem elementos custosos para um galinheiro, o preço de manutenção das Ayam Cemani é o mesmo do de uma galinha qualquer.

Os pequenos guerreiros lucanídeos

Estas criaturas assustadoras são populares no Japão, onde podem chegar a custar até U$ 8.900 dólares por unidade. Apesar de serem pequenos – medindo de 5 cm a 12 cm – seus chifres e mandíbulas o destacam de qualquer outro inseto.

Estes elementos tornam os besouros lucanídeos famosos no entretenimento midiático: há lutas televisionadas entre machos da espécie, com direito a apostas e tudo.

O custo para manter um como bicho de estimação é baixo, já que eles se alimentam de frutas e seiva e vivem e aquários com folhas secas.

O colorido tucano

Este pássaro de bico colorido é conhecido – presente em desenhos e filmes – e costuma ser uma escolha popular entre as aves exóticas.

Amistosos e belos, o preço de porte deste pássaro costuma ser superior a U$ 8.000 dólares, sem contar o custo de manutenção.

A dieta do animal é muito específica e o espécime precisa de muito espaço para voar, se as asas não forem cortadas, já que sua natureza é um tanto energética. Com o cuidado correto, esta ave tropical pode chegar a viver 20 anos, apesar dos elevados custos de cuidado e tratamento.

O majestoso gato da savana

A aparência nobre deste felino gera seu alto índice de busca. Com preços que variam de U$ 12.000 a U$ 20.000, poucas pessoas conseguem sustentar esta mascote que, apesar da aparência, não passa do cruzamento entre um gato doméstico normal e um serval africano.

A criação em cativeiro justifica o comportamento carinhoso e amigável, principalmente se o animal for treinado desde filhote.

Porém, eles precisam de muita atenção, já que têm muita energia para gastar e não gostam de ficar sozinhos. Suas necessidades alimentares são compatíveis com as de seus parentes domésticos, mas eles demonstram muito mais aptidão com seus instintos caçadores selvagens.

O macaco de Brazza

Assim denominado por conta de seu descobridor, o franco italiano Pierre Savorgnan de Brazza, este espécime é conhecido pela coloração laranja em seu cenho e sua barba branca, que o fazem se parecer com um senhor.

Animais de estimação populares na África, seu custo pode variar de U$ 10.000 a U$ 15.000, se tornando assim um dos macacos mais caros do planeta.

Por conta de sua natureza tímida e sua habilidade esquiva, é difícil determinar quantos ainda existem em liberdade e, por isso, seu preço é ainda mais alto do que seria. A dieta deste exemplar é baseada em frutas, vegetais e insetos, mas o viveiro ideal pode ser mais custoso do que sua manutenção alimentar; principalmente ao se considerar que o animal chega a viver uma média de 22 anos.

O aruanã vermelho: o peixe-dragão

Originário do sudeste da Ásia e da Indonésia, este belo exemplar de grandes escamas vermelhas é o peixe mais procurado do mundo, raro o suficiente para chegar a custar U$ 3.000, sendo que exemplares de raça pura – conhecidos como “grão-mestres” – podem angariar a si um valor de até U$ 50.000.

Cidades como Nova Iorque e Los Angeles são as maiores importadoras, com um mercado negro que alimenta a constante demanda mesmo o espécime sendo ilegal nos EUA.

Na Ásia, onde sua posse é permitida por lei, eles são valiosos da mesma maneira e costumam ser criados em fazendas de peixe de alta segurança, com infraestrutura de rastreamento por microchipe.

O aruanã vermelho é popular entre as classes mais abastadas e há rumores de que um membro do partido comunista chinês chegou a pagar U$ 300.000 por um exemplar.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
  • Envie um Comentário: